O MINISTÉRIO DA INFRAESTRUTURA PORTUGUÊSA BLOQUEIA ILEGALMENTE AS OPERAÇOES DE RYANAIR NO MARROCOS

30 Oct 2021

Ryanair, a companhia aérea nº 1 da Europa, foi hoje (29 Out) ilegalmente impedida pelo Ministério das Infraestruturas de Portugal e pela ANAC de abrir três novas rotas para Marrocos causando o cancelamento totalmente desnecessário de voos para mais de 3.000 passageiros portugueses que deviam viajar de Lisboa neste domingo 31 de outubro.

 

Esta é uma violação clara do Acordo de Céus Abertos da UE em vigor com Marrocos. A companhia Ryanair opera entre Portugal e Marrocos há mais de três anos e é inexplicável porque é que o Ministério das Infraestruturas / ANAC não emitiu autorizações de voo normalizadas para permitir a operação destes voos.

 

Mais de 3.000 passageiros portugueses terão agora os seus planos de viagem desnecessária e ilegalmente interrompidos devido ao cancelamento destes voos a partir de domingo, 31 de outubro. Ryanair tentou várias vezes garantir essas permissões no último mês, mas todos os burocratas sem rosto do Ministério da Infraestrutura partiram para o feriado na noite de sexta-feira, recusando-se a emitir as permissões de rotina, demonstrando total indiferença ao caos que causaram a mais de 3.000 passageiros portugueses que tinham planos de viagem para Marrocos no fim de semana mais movimentado do ano.

 

Ryanair lamenta o cancelamento desnecessário dos seguintes voos devido às ações ilegais do Ministério da Infraestrutura:

Os voos do Porto para Marraquexe funcionarão conforme o previsto.

 

O Diretor Comercial da Ryanair, Jason McGuinness, disse:

“É incrível que o Departamento de Infra-estruturas de Portugal obrigue ao cancelamento totalmente desnecessário de voos para mais de 3.000 passageiros portugueses a partir de domingo, 31 de outubro. Ryanair já detém direitos de tráfego para voar de Portugal para Marrocos, operando com sucesso voos entre Portugal e Marrocos há mais de 3 anos. Não há nenhuma boa razão para esta ação ilegal que é uma clara violação do direito da UE, referente ao Acordo dos Céus Abertos da UE”.

É simplesmente ultrajante que burocratas sem rosto do Departamento de Infraestrutura se recusaram a permanecer em seus escritórios na sexta-feira para resolver o assunto e partiram para o fim de semana do feriado enquanto destruíam os planos de feriado para mais de 3.000 de seus concidadãos”.

 “Ryanair lamenta a perturbação desnecessária causada aos nossos passageiros por esta ação ilegal do Departamento de Infraestruturas de Portugal e tentará encontrar alternativas

de viagem e / ou reembolsos para os passageiros afetados”.